segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Análise de Malaquias 3 - 10

Este estudo é um resumo de diversos materiais, textos, comentários, artigos, que foram analisados e comparados com as Escrituras Sagradas e tem o objetivo de alertar os amados irmãos sobre a obrigatoriedade do dízimo nas denominações.
Depois de ler deixe esta blogueira feliz, comente!Discordar não é problema, pois resulta em aprendizado, porém tenha modos!
Analisem e tirem suas próprias conclusões.
Para começar partirei de algumas perguntas básicas que serão respondidas ao longo do estudo.
Quem é o alvo da sentença do livro de Malaquias?
Quem roubava?
O que roubavam?
O que é o dízimo?
O dízimo é para nós?
O que são as bençãos do livro de Malaquias?
E as maldições?
Os pregadores utilizam um versículo isolado da bíblia para justificar o dízimo de suas ovelhas.O povo é pressionado e até ameaçado com frases do tipo " o  devorador vai lá na sua casa tocar nas suas finanças se você continuar roubando ao Senhor" e por aí vai.
Usa-se Malaquias 3-8 para amedrontar as ovelhas, e estas em sua maioria contribuem por medo.O livro de Malaquias começa com uma “sentença” contra Israel. Então posso dizer que tudo que está relatado no livro é contra todo o povo? A princípio parece isso, mas o cap. 1 versos de 1 a 5 relata a dúvida do povo quanto ao amor de Deus.


1- Peso da palavra do SENHOR contra Israel, por intermédio de Malaquias.
2- Eu vos tenho amado, diz o SENHOR. Mas vós dizeis: Em que nos tem amado? Não era Esaú irmão de Jacó? disse o SENHOR; todavia amei a Jacó,
3- E odiei a Esaú; e fiz dos seus montes uma desolação, e dei a sua herança aos chacais do deserto.
4 - Ainda que Edom diga: Empobrecidos estamos, porém tornaremos a edificar os lugares desolados; assim diz o SENHOR dos Exércitos: Eles edificarão, e eu destruirei; e lhes chamarão: Termo de impiedade, e povo contra quem o SENHOR está irado para sempre.
5 - E os vossos olhos o verão, e direis: O SENHOR seja engrandecido além dos termos de Israel.
A partir do verso 6, começo a perceber o objeto da “sentença” do verso 1: “a reprovação aos atos dos sacerdotes”, pois eles eram porta-vozes do Altíssimo e deveriam guardar o conhecimento e o povo procurar neles a instrução. Mas irei começar de fato a estudar o livro através de uma questão localizada no verso mais utilizado pelos pregadores modernos para confirmar a obrigação de “devolver” 10% dos ganhos dos fiéis, no capítulo 3, verso 8:
"Roubará o homem a Deus? todavia vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? nos dízimos e nas ofertas."
Malaquias 3:9


9 Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda.


Porque a reprovação era aos atos dos sacerdotes?
Os sacerdotes eram os porta-vozes do Altíssimo e o povo deveria buscar instruções com eles e eles deveriam guardar o conhecimento. Mas fizeram tropeçar a muitos, tornando-os culpados. Porém em Malaquias 1:10, Deus desejou que houvesse entre os sacerdotes quem fechasse as portas para que não acendessem em vão o fogo para queimar a oferta:


Malaquias 1:10


 Tomara houvesse entre vós quem feche as portas, para que não acendêsseis, debalde, o fogo do meu altar. Eu não tenho prazer em vós, diz o SENHOR dos Exércitos, nem aceitarei da vossa mão a oferta.


Em outra versão, Bíblia Viva:


“Quem me dera achar, no meio de todos vocês, um sacerdote que fechasse as portas do templo e recusasse esse tipo de sacrifícios! Eu não tenho prazer em vocês diz o Senhor dos Exércitos, e não aceitarei as suas ofertas”


E no capítulo 3 verso 10, Deus ordena o que eles deveriam fazer para não incorrer no erro:


Malaquias 3:10


Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa;


Uma outra tradução diz assim:
“Trazei todos os dízimos ao armazém, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.”

Não existe o termo “Casa do Tesouro" nos originais e sim Armazém, local onde se armazena mercadorias.



A Nova Versão Internacional (NVI), traduz este verso da seguinte forma:
Tragam o dízimo todo ao depósito do templo para que haja alimento na minha casa.


Nota que falta algo?


O verso acima manda trazer o dízimo.E as ofertas?Porque foram omitidas, se o roubo era de dízimos e ofertas?O livro de Malaquias tem a resposta. Descobriremos, dentro do próprio livro, que os dízimos e as ofertas que os pastores exigem hoje não são os dízimos e nem as ofertas relatadas no livro de Malaquias.
1.2 Eu vos tenho amado, diz o SENHOR; mas vós dizeis: Em que nos tens amado? Não foi Esaú irmão de Jacó? —disse o SENHOR; todavia, amei a Jacó, (...)


1.6 O filho honra o pai, e o servo, ao seu senhor. Se eu sou pai, onde está a minha honra? E, se eu sou senhor, onde está o respeito para comigo? —diz o SENHOR dos Exércitos a vós outros, ó sacerdotes que desprezais o meu nome. Vós dizeis: Em que desprezamos nós o teu nome?


1.7 Ofereceis, sobre o meu altar pão imundo e ainda perguntais: Em que te havemos profanado? Nisto, que pensais: A mesa do SENHOR é desprezível.


2.17 Enfadais o SENHOR com vossas palavras; e ainda dizeis: Em que o enfadamos?


Em que havemos de tornar?


3.8 Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas.


3.13 As vossas palavras foram duras para mim, diz o SENHOR; mas vós dizeis: Que temos falado contra ti?


3.14 Vós dizeis: Inútil é servir a Deus; que nos aproveitou termos cuidado em guardar os seus preceitos e em andar de luto diante do SENHOR dos Exércitos?


Percebe-se que a mensagem é para os sacerdotes e para a nação que errava por não ter sido instruída por eles. Então posso afirmar que eles (os sacerdotes) eram o alvo da advertência e os próprios que roubavam.


Identificando como sendo roubada (v8), mas com a ausência da ordem para “trazer” a oferta (v10), só me resta concluir que a reprovação aos sacerdotes era por “ofertarem animais defeituosos”, iniciada no verso 6, do capítulo 1 e justificada a partir do verso 7:


Malaquias 1:6 a14


1.6 O filho honra o pai, e o servo, ao seu senhor. Se eu sou pai, onde está a minha honra?E, se eu sou senhor, onde está o respeito para comigo? —diz o SENHOR dos Exércitos a vós outros, ó sacerdotes que desprezais o meu nome. Vós dizeis: Em que desprezamos nós o teu nome?


1.7Ofereceis sobre o meu altar pão imundo e ainda perguntais: Em que te havemos profanado? Nisto, que pensais: A mesa do SENHOR é desprezível.


1.8Quando trazeis animal cego para o sacrificardes, não é isso mal? E, quando trazeis o coxo ou o enfermo, não é isso mal?Ora, apresenta-o ao teu governador; acaso, terá ele agrado em ti e te será favorável? —diz o SENHOR dos Exércitos.


1.9 Agora, pois, suplicai o favor de Deus, que nos conceda a sua graça; mas, com tais ofertas nas vossas mãos, aceitará ele a vossa pessoa?—diz o SENHOR dos Exércitos.


1.10 Tomara houvesse entre vós quem fechasse as portas, para que não acendêsseis, debalde, o fogo do meu altar. Eu não tenho prazer em vós, diz o SENHOR dos Exércitos, nem aceitarei da vossa mão a oferta.


1.11 Mas, desde o nascente do sol até ao poente,é grandeentre as nações o meu nome; e em todo lugar lhe é queimado incenso e trazidas ofertas puras, porque o meu nome é grande entre as nações, diz o SENHOR dos Exércitos.


1.12Mas vós o profanais, quando dizeis: A mesa do SENHOR é imunda, e o que nela se oferece, isto é, a sua comida, é desprezível.


1.13 E dizeis ainda: Que canseira! E me desprezais, diz o SENHOR dos Exércitos; vós ofereceis o dilacerado, e o coxo, e o enfermo; assim fazeis a oferta. Aceitaria eu isso da vossa mão?—diz o SENHOR.


1.14Pois maldito seja o enganador, que, tendo um animal sadio no seu rebanho, promete e oferece ao SENHOR um defeituoso; porque eu sou grande Rei, diz o SENHOR dos Exércitos, o meu nome é terrível entre as nações.
 O roubo nas ofertas não passava de “ofertas de sacrifícios” realizadas com “animais aleijados e/ou doentes”.
E o roubo nos dízimos? O que significa?


 Malaquias 3:5 a 7


5 Chegar-me-ei a vós outros para juízo; serei testemunha veloz contra os feiticeiros, e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que defraudam o salário do jornaleiro, e oprimem a viúva e o órfão, e torcem o direito do estrangeiro, e não me temem, diz o SENHOR dos Exércitos.


6 Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos.


7 Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós outros, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar?
Havia opressão ao órfão e à viúva e desrespeito ao direito do estrangeiro. Eles recebiam, em certo período, dos dízimos, conforme Deuteronômio 14:28-29:


Deuteronômio 14:28 e 29


28 Ao fim de cada três anos tirarão todos os dízimos do fruto do terceiro ano e os recolherás na tua cidade.


29 Então, virão o levita (pois não tem parte nem herança contigo), o estrangeiro, o órfão e a viúva que estão dentro da tua cidade, e comerão, e se fartarão, para que o SENHOR, teu Deus, te abençoe em todas as obras que as tuas mãos fizerem.


Deuteronômio 10:17 e 18


17 Pois o SENHOR, vosso Deus, é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e temível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita suborno;


18 que faz justiça ao órfão e à viúva e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e vestes.


Portanto, o dízimo era mandamento de Deus e tinham função social, para sustendo dos órfãos, viúvas, estrangeiros e levitas. Este conceito, além de explícito na bíblia, também é confirmado pelo dicionário da Bíblia Almeida, conforme imagem abaixo:


Fonte: Bíblia Online versão 3.0 – Sociedade Bíblica Brasileira - 2002


Órfãos, viúvas e estrangeiros eram os alvos do benefício material aos quais o dízimo proporcionava, assim como toda a tribo de Levi (os levitas) que não tinha herança e fazia o trabalho da obra de Deus (Deuteronômio 14:28-29):


Deuteronômio 16:11


11 Alegrar-te-ás perante o SENHOR, teu Deus, tu, e o teu filho, e a tua filha, e o teu servo, e a tua serva, e o levita que está dentro da tua cidade, e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva que estão no meio de ti, no lugar que o SENHOR, teu Deus, escolher para ali fazer habitar o seu nome.


Deuteronômio 16:14


14 Alegrar-te-ás, na tua festa, tu, e o teu filho, e a tua filha, e o teu servo, e a tua serva, e o levita, e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva que estão dentro das tuas cidades.


Deuteronômio 24:17


17 Não perverterás o direito do estrangeiro e do órfão; nem tomarás em penhor a roupa da viúva.


Deuteronômio 24:19-21


19 Quando, no teu campo, segares a messe e, nele, esqueceres um feixe de espigas, não voltarás a tomá-lo; para o estrangeiro, parao órfão e para a viúva será; para que o SENHOR, teu Deus, te abençoe em toda obra das tuas mãos.


20 Quando sacudires a tua oliveira, não voltarás a colher o fruto dos ramos; para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva será.


21 Quando vindimares a tua vinha, não tornarás a rebuscá-la; para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva será o restante.


Deuteronômio 26:12-13


12 Quando acabares de separar todos os dízimos da tua messe no ano terceiro, que é o dos dízimos, então, os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas cidades e se fartem.


13 Dirás perante o SENHOR, teu Deus: Tirei de minha casa o que é consagrado e dei também ao levita, e ao estrangeiro, e ao órfão, e à viúva, segundo todos os teus mandamentos que me tens ordenado; nada transgredi dos teus mandamentos, nem deles me esqueci.


Deuteronômio 27:19


19 Maldito aquele que perverter o direito do estrangeiro, do órfão e da viúva. E todo o povo dirá: Amém!
Se em Malaquias a opressão era sobre órfãos, viúvas e estrangeiros, e a repreensão era sobre os sacerdotes, pelos atos indignos, parece lógico que os sacerdotes eram os opressores, ou coniventes, pois conforme o verso 7 do capítulo 2, era por eles que o povo deveria ser instruído:


Malaquias 2:7


Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens procurar a instrução, porque ele é  mensageiro do Senhor dos Exércitos.


Quanto aos DÍZIMOS, eram “dos frutos da terra e dos animais”. A bíblia confirma:


Levítico 27:30, 32


30 Também todas as dízimas da terra, tanto dos cereais do campo como dos frutos das árvores, são do SENHOR; santas são ao SENHOR.


32 No tocante às dízimas do gado e do rebanho, de tudo o que passar debaixo do bordão do pastor, o dízimo será santo ao SENHOR.


Mateus 23:23


Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!


Dízimo nunca foi dinheiro!


Então, o que se roubava eram produtos agropecuários e se roubava por não dar a quem de direito pertencia os dízimos e não ofertando ao Senhor o que era o melhor. Portanto, se o dízimo de hoje não tem as características de ser agropecuário, não pode ser considerado o dízimo da bíblia, pois tinha fins sociais e era dado aos menos favorecidos: órfãos, viúvas, estrangeiros e aos da tribo de Levi (levitas).
Note nos contextos de Malaquias que as ofertas eram mais importantes que os dízimos: as ofertas eram para serem oferecidas a Deus, em sacrifício, e o dízimo era um mandamento de Deus para benefício de homens: órfãos, viúvas, estrangeiros e Levitas.
As ofertas têm dois motivos para a não aceitação pelo Senhor:


·        A infidelidade conjugal (2:10 a 16)


·        Ofertas de animais imperfeitos (1:7 a 14)


Mas como os sacerdotes ofereciam sacrifícios ao Senhor de animais defeituosos, se as ofertas que recebiam deveriam ser de animais sem defeito ou mácula?
Os sacerdotes não tinham terras para plantar e criar, e seu sustento era único e exclusivo do dízimo, só existiriam duas possibilidades de terem na mão animais defeituosos para poderem sacrificar:
O povo estava entregando animais com defeito para serem sacrificados, tornando os sacerdotes negligentes por aceitarem ou os animais defeituosos advinham dos dízimos.
Parece, segundo o relato de Levítico 27:30 a 34, que a segunda opção mais se ajusta ao contexto. Analisemos:


Levítico 27:30-33


30 Também todas as dízimas da terra, tanto dos cereais do campo como dos frutos das árvores, são do SENHOR; santas são ao SENHOR.
31 Se alguém, das suas dízimas, quiser resgatar alguma coisa, acrescentará a sua quinta parte sobre ela.
32 No tocante às dízimas do gado e do rebanho, de tudo o que passar debaixo do bordão do pastor, o dízimo será santo ao Senhor.
33 Não se investigará se é bom ou mau, nem o trocará; mas, se dalgum modo o trocar, um e outro serão santos; não serão resgatados.


No verso 32 informa que “de tudo o que passar debaixo da vara do pastor o décimo será santo ao Senhor” e no verso 33 ordena que “não se investigará se é bom ou mau”, uma alusão para “ser ou não ser defeituoso”. No mesmo verso, ainda ordena que, se for trocado, ambos, o mau que fora trocado e o bom, irão para o Senhor.Esses animais que os sacerdotes sacrificavam em oferta ao Senhor e não era aceita por serem defeituosos, provavelmente advinham dos dízimos, pois advinha dos dízimos o sustento dos sacerdotes.Portanto, como relatado no livro de Malaquias, as ofertas roubadas não passavam de animais sacrificados ao Senhor de forma imprudente pelos sacerdotes, pois a oferta deveria ser “do melhor” para Deus.Portanto as ofertas não eram dinheiro, mas animais sacrificados ao Senhor, e este é o motivo destas não serem citadas em Malaquias 3-10.


"Trazei todos os dízimos à casa do tesouro...." veja que não é citada a oferta, porque ela não era para a casa do tesouro, mas para o sacrifício.


O que eram as bênçãos então?
E o que são as janelas do céu?


Gênesis 7:11


"Nesse tempo Noé tinha seiscentos anos. No dia dezessete do segundo mês, se arrebentaram todas as fontes do grande mar, e foram abertas as janelas do céu..."


Gênesis 8:2


"As fontes do grande mar e as janelas do céu se fecharam. Parou de chover..."


Então quando Deus disse que abriria as janelas do céu e derramaria bençãos tal, que dela nos advenha a maior abastança, Ele estava falando de chuva! Abastança de alimentos!
E as maldições? O que realmente eram? Quem era o devorador?


Malaquias 2:1-2 e 3:9 e 11


1 Agora, ó sacerdotes, para vós outros é este mandamento.
2 Se o não ouvirdes e se não propuserdes no vosso coração dar honra ao meu nome, diz o Senhor dos Exércitos,enviarei sobre vós a maldição e amaldiçoarei as vossas bênçãos já as tenho amaldiçoado, porque vós não propondes isso no coração.


9 Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda.


11 Por vossa causa repreenderei o devorador para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.


Os sacerdotes como os principais responsáveis, são citados no verso 1 do capítulo 2 e o Senhor condiciona a bênção à honra ao seu nome. Com certeza a maldição já estava imposta quando o Senhor não aceitou a oferta da mão do sacerdote (1:6-14)A continuidade dos maus atos (roubo nos dízimos e roubo nas ofertas) ocasionava a falta de chuvas, as quais proporcionavam a geração de dízimos e ofertas (produtos agropecuários) e ação de gafanhotos:


Joel 1:4


O que deixou o gafanhoto cortador, comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador, comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador, comeu-o o gafanhoto destruidor.


A falta de chuva e a ação da praga de gafanhotos dizimavam, isso mesmo, dizimavam (destruíam) os produtos agropecuários, de onde se tiravam os dízimos e as ofertas.
Em Malaquias 3:11, o Senhor já falava para aqueles que propuseram no coração fazer a sua vontade:


Malaquias 3: 11


11 Por vossa causa repreenderei o devorador para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.


Uma confirmação de Joel 2:25:


Joel 2:25


Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador, o meu grande exército que enviei contra vós outros.


E também em Malaquias 3:16-17:


Malaquias 3:16-17:


16 Então, os que temiam ao SENHOR falavam uns aos outros; o SENHOR atentava e ouvia; havia um memorial escrito diante dele para os que temem ao SENHOR e para os que se lembram do seu nome.
17 Eles serão para mim particular tesouro, naquele dia que prepararei, diz o SENHOR dos Exércitos; poupá-los-ei como um homem poupa a seu filho que o serve.
Então as maldições eram a falta de chuvas e a ação destruidora dos gafanhotos sobre a agricultura e pecuária.



Conclusão
Portanto, deve-se fazer justiça e findar com o costume de cobrar o dízimo utilizando-se da palavra de Deus.Somos sabedores das nossas responsabilidades quanto à manutenção do ministério do Senhor nesta terra; e como exemplo, Deus nos deixou escrito através do seu servo Paulo:


2 Coríntios 9:7


Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria.


Os lideres hoje utilizam Paulo como exemplo, mas não se fazem exemplos por ele (com raríssimas exceções), como relatou:


2 Coríntios 12:14


Eis que, pela terceira vez, estou pronto a ir ter convosco e não vos serei pesado; pois não vou atrás dos vossos bens, mas procuro a vós outros. Não devem os filhos entesourar para os pais, mas os pais, para os filhos.
“O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento, porque tu rejeitaste o conhecimento também eu te rejeitarei para que não sejas sacerdote diante de mim, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também Eu me esquecerei dos teus filhos (Oséias 4.6). Se você não quer ser incluído nesta destruição, deve procurar com todas as suas forças conhecer a Deus e a seus planos para o mundo antes que seja tarde demais. Não se contente com chavões evangélicos, respostas prontas e meias verdades. 

22 comentários:

  1. Muito boa a materia....é isso mesmo!utilizar ml 3.10 para forçar os crentes a dar dizimo,é contra o ensino do Senhor dentro da nova aliança.
    Só lembrando ao amado irmão que a passagem de 2 Co 9.7 esta inserida dentro de um contexto social,em ajudar os pobres e não dar dinheiro para a igreja.
    Outro erro,pois usam esta passagem para arrecadar fundos para a igreja e não para dar aos pobres.
    Não sou contra ajudar a igreja,porque eu bem sei que ela tem gastos,mas os pastores tem que tirar ofertas para este fim e não distorcer uma passagem biblica,para tirar dinheiro dos fieis que certamente,na maioria das vezes,não vão para os pobres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz e graça sejam convosco!
      Hoje há um desespero pela "plantação de igrejas".
      As pessoas estão mais preocupadas com a argamassa do que com as almas.A igreja somos nós.Naquela época eram necessários os templos pois as pessoas não tinham acesso às escrituras, por isso se fazia necessária a ida ao templo.Os apóstolos iam ao templo, Jesus ensinava no templo, mas eles iam para incomodar o sistema, não para pregar a favor dele, inclusive , e quando iam eram expulsos!Esse é o nosso dever como cristãos hoje.Devemos incomodar.A igreja precisa de uma reforma urgente.É necessário rever nossos conceitos, porque o fim está chegando e nossos irmãos foram ensinados a acreditar que a salvação é condicionada a dízimo e igreja(templo)Devemos nos preparar e principalmente evangelizar, pois enquanto muitos estão dentro dos templos dizendo amém para tudo que o pastor diz almas caem em cascata no inferno por não haver quem pregue para elas.Um dia eu também fui ovelha muda.Um dia eu também acreditei que se não desse o dízimo Deus me amaldiçoaria.Um dia eu já acreditei cegamente no que o pastor dizia sem questionar nada.Mas Jesus me libertou.Ele me libertou enquanto a igreja me prendia.Posso te dizer por experiência própria.Esse processo dói.Mas quando termina você vê como era cego e burro.Hoje eu experimento a verdadeira liberdade que Jesus conquistou pra minha vida.Eu não peco por amor ao Deus que eu sirvo, não porque a igreja não permite.Jesus tirou meu pecado, não a minha inteligência.Em Mateus 23-8 Jesus disse:
      "Vós porém, não sereis chamados mestres, porque SÓ UM é vosso Mestre, e todos vós sois irmãos".O que os pastores da igreja são? Irmão, peço que faça um estudo sério sobre isso, e entenderá o que estou dizendo.Não tem que ter templo, pastor, nada disso.Sou a favor de um lugar onde os cristãos possam se reunir para estudar as escrituras e estarem em comunhão.Talvez nas casas, como era na época de Paulo.O templo é mais um fardo colocado no lombo dos cristãos, porque se tem um templo obrigatoriamente teremos que mante-lo.A igreja nas casas dá mais retorno espiritual e é financeiramente mais acessível.E o dinheiro que se gastaria reformando templo, comprando isso e aquilo para o templo, pagando visita de pregador de longe, poderíamos investir em folhetos para evangelização, cesta básica para os necessitados e outro tipo de ajuda social.Se você quiser conversar mais a respeito me adicione no msn:patriciaanayarodrigues@gmail.com ou me procure no facebook:Patrícia Rodrigues
      Deus abençõe!

      Excluir
  2. Você disse que o dízimo nunca foi dinheiro.
    Achei muito fraco o seu argumento pois a Bíblia é cheia de momentos onde dinheiro (ouro e prata) são dizimados.

    Além disso, mesmo que o dízimo fosse apenas produtos agropecuários, que era para ajudar órfãos e viúvas, hoje se deve ter o mesmo pensamento. Pois hoje entregamos os dízimos para a administração dos diáconos para ajuda e sustento dos pobres. Agora isso depende de qual igreja você frequenta...
    Se for igreja que um pastor ou uma família é o dono, cuidado...

    Erra por não dizimar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simples, objetiva e sem sombras de variação, assim é a Palavra de Deus.
      Irmão, gostaria que me relatasse em que passagem das escrituras ouro e prata são dizimados.
      Como você pode ver no estudo, os dízimos dos alimentos eram retirados a cada três anos como podemos ver em Deuteronômio 14-28 "Ao fim de cada três anos tirarão todos os dízimos do fruto do terceiro ano e os recolherás na tua cidade".
      E em Deuteronômio 26-12 "Quando acabares de separar todos os dízimos da tua messe no ano terceiro, que é o dos dízimos, então, os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas cidades e se fartem."
      O dízimo era recolhido a cada três anos, não todos os meses como é feito hoje.
      Onde, no novo testamento, você encontra uma ordença a respeito do dízimo?
      A Bíblia diz que a igreja primitiva perseverava na doutrina dos apóstolos, não na doutrina de Malaquias ou de Moisés, mas dos apóstolos. Atos 2:42.
      Você não acha em nenhum lugar na Bíblia os apóstolos mandando pagar ou receber dizimo ou guardar sábado etc.

      Os legalista para justificar o dizimo eles cita Mateus 23:23, onde Jesus manda os escribas e fariseus hipócrita a dizimar.
      Mas não sabendo e não querendo saber que a lei foi cumprida, terminada na morte de Jesus. Os quatros evangelho apesar de estarem no Novo Testamento não é o Evangelho da graça. Por isso Jesus proibiu os discípulos de pregar para nós gentios. Disse para os discípulos: ir somente às casas das ovelhas perdidas de Israel. (Mat. 10:5-6)

      Os legalistas dizem que o dizimo foi antes da lei, e que Abraão deu o dizimo. E que os filhos de Abraão devem pagar o dizimo. Eu pergunto, os filhos de Abraão tem que circuncidar, guardar o sábado? Porque Abraão foi circuncidado e guardou o sábado.
      O sábado, dizimo e a circuncisão, foram leis instituídas antes da lei dada a Moisés, mas Jesus não disse que cumpriu só a lei de Moisés, mas todo o Antigo Testamento.O dizimo é uma doutrina tirada do Antigo Testamento, o qual foi escrito exclusivamente para a nação de Israel, Malaquias 1:1 e 4:4. As provisões dessa aliança com seus mandamentos e promessas concerne somente a nação de Israel. A instituição do dizimo, sábado, circuncisão, sacerdote, templo, sacrifícios, assim como todo Antigo Testamento, era exclusividade da nação de Israel. As outras nações chamada de povos gentios, não tinha direito nem deveres para com a Bíblia do Antigo Testamento, que servia de parede para separar Israel das outras nações, (Ef. 2:14-15).

      Jesus veio cumprir o Antigo Testamento, que era chamado de lei e profetas, Mat.5:17. Quando Jesus morreu, terminou tudo que estava no Antigo e começou um Novo Testamento. Portanto não há lugar na igreja, para: ritos cerimoniais, sacrifício de carne, instituição de sacerdote e pastores como mediadores entre Deus e os homens, templos, sábado, dizimo, circuncisão, etc.

      A doutrina do dizimo, sábado, assim como toda lei do Antigo Testamento, foi rejeitada pelos apóstolos, eles condenaram o evangelho misto, que mistura o Novo com o Velho Testamento, a lei com a graça, Atos 15:1-32.

      O apóstolo Paulo disse: todos quantos, pois são das obras da lei estão debaixo da maldição.
      Pense nisso.

      Excluir
    2. o senhor está totalmente errado,pelo visto vc não entende nada de biblia

      Excluir
    3. Pense como quiser, Deus deu o livre arbítrio irmão.
      Ah, sou uma senhora ok!

      Excluir
  3. Muito boa sua análise relamente você abordou o texto e o contexto que é descrito na Bíblia, de forma clara e verdadeira sem demagogia e interesse doutrinário, dogmaticos das instituições religiosas, que criam um simbolismo, inventam, aumentam o que está nas escrituras sagradas para justificar as coisas erradas praticadas eles.
    Uso da hermenêutica e da homilia deveria ser para compreender o sentido das palavras de Deus e não para distorcer a Bíblia para o uso próprio, ou de instituições religiosas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, fico feliz que tenha gostado irmão.Deus te abençoe ricamente!

      Excluir
  4. Muito bem escrito esse texto.
    mas duas ressalvas:
    1º: ele não é de sua autoria, mas sim do Carlão, Carlos Alberto Gomes de Oliveira, um ex-membro da Igreja Adventista de Codó-MA, que inclusive foi expulso da igreja depois de alguns textos e opiniões nesse sentido (e também por expressar a sua descrença na doutrina da trindade. Portanto devias citar a autoria do texto, afinal copiar sem citar é plágio!

    2º: a sua resposta ao leitor que falou sobre o ouro e a prata demonstra que vc não é uma profunda conhecedora da Bíblia. Em vários momentos o deus do AT pediu sim ofertas em metais preciosos, como quando da construção do tabernáculo.

    Então esse texto serve sim ao seu propósito, que é desmistificar essa passagem isolada do livro de Malaquias. Mas não deve ser usado de forma isolada, visto que por ser a Bíblia um livro tão multifacetado, existem outros pontos sobre o tema DÍZIMO que não são derrubados apenas com essa análise.

    paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada prof Tiago por me esclarecer de quem é este texto, eu usei sim textos e estudos de terceiros, inclusive deixo isso claro no começo do mesmo, mas eu não conhecia a autoria!Paz!

      Excluir
    2. ouro e prata não são dizimados e sim dados como oferta

      Excluir
  5. mau irmao vc esta sedo usado por satanas para que o povo de Deus pare de fazer o que e correto que o senhor tenha misericordia de vc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vá estudar povo ignorante!
      Porque meu povo se perde por falta de conhecimento; por teres rejeitado a instrução, excluir-te-ei de meu sacerdócio; já que esqueceste a lei de teu Deus, também eu me esquecerei dos teus filhos.
      Oséias 4,6

      Excluir
  6. Muito bom. Eu já havia feito uma analise exegética deste famigerado texto de Malaquias, e cheguei a essa mesma conclusão. O cristão está inserido em um novo pacto, em uma nova aliança. A contribuição do cristão é livre, é por gratidão, é espontânea . Usar Malaquias para obrigar o povo a contribuir, é uma forma de voltar à lei Mosaica. Tudo que eu poderia dizer já foi dito na analise deste texto parabéns.

    ResponderExcluir
  7. Goiânia GO,27,12,16. Amigo achei o seu comentário dos mais interessante. Aprendi com o mesmo mais do que com muitos anos de leitura com a Bíblia. Quero lhe parabenizar pelo seu trabalho que é de grande importância para quem deseja aprender. Continue assim. Uma braço. Geraldo Lobo.

    ResponderExcluir
  8. Bom dia, estou abrindo o meu entendimento acerca do dízimo. Sou "dizimista fiel", mas nos últimos dias senti vontade no meu coração de me aprofundar no assunto e vejo como é fundamental conhecer a palavra. Em Deuteronômio diz que a cada três anos o dízimo será tirado, e eu me preocupando em dizimar mensalmente. Concordo em ajudar a casa do Senhor, mas com alegria e com quanto desejar em meu coração como Ele deseja e não fazer isso por pura legalidade, já que vivemos debaixo da graça. Muito bom o texto, bem explicativo.

    ResponderExcluir
  9. Maravilhoso seu estudo!! Pregadores deveriam ver isso!! Como podem !! Falsos Profetas como Diz a Bíblia Sagrada.

    ResponderExcluir
  10. Parabéns, excelente estudo da Palavra de Deus sobre o dízimo!

    Deus te abençõe por tão rico estudo!

    ResponderExcluir